AMABELA.jpg
amabela.png
AMABELA_arte.png

Originário da Amazônia, o cupuaçu colhido pela Associação de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Município de Belterra, no Pará, é plantado em sistema agroflorestal. Com base nos saberes ancestrais dos povos da região, as sementes de cupuaçu são tratadas de modo tradicional, o que permite a permanência do sabor da fruta durante a fabricação do cupulate. Destaca-se no paladar a cremosidade, além do sabor cítrico e frutado desta barra.

O cupulate é feito a partir da amêndoa do cupuaçu (Theobroma Grandiflorum), fruta típica da Amazônia e do mesmo gênero do cacau (Theobroma Cacao), por isso seu nome é semelhante ao do famoso chocolate. Apesar de ter sabor, textura e composição calórica semelhantes ao do chocolate, o cupulate oferece uma experiência sensorial única, tipicamente amazônica.

Em 2018,  César De Mendes conheceu a AMABELA - Associação de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Município de Belterra, na região do rio Tapajós (Pará), passando a vivenciar a cultura do grupo e também as diferentes personalidades das mulheres da organização, que se uniram em torno de pautas comuns, como o empoderamento feminino e os direitos das trabalhadoras, e se mantém pela venda dos excedentes da produção agroflorestal. 

O contato com a bebida de cupulate que as mulheres produziam despertou enorme interesse no chocolatier. A técnica tradicional de tratamento das sementes de cupuaçu, transmitida por gerações, preserva o sabor e o frescor da fruta no processo de feitura, sendo essencial para que as amêndoas desenvolvam suas características que logo serão apresentadas sensorialmente no cupulate.  

amabela.jpg
AMABELA2 (1).jpg

Do estreito intercâmbio de saberes com as aguerridas mulheres da associação, surgiu a barra produzida com amêndoas de cupuaçu de altíssima qualidade, colhidas em pequenas ilhas de florestas, em meio a grandes plantações de soja. A partir de seus quintais produtivos, essas mulheres simbolizam a potência criativa feminina e a resistência frente às pressões sociais e ambientais. “Nós, mulheres trabalhadoras rurais, nos juntamos para ser uma marca bonita, um slogan, para divulgar o nosso trabalho. Por isso o nome: AMA de amar, mulheres, e BELA de Belterra, de beleza. Amor e beleza, em um trabalho muito reconhecido”, explica Selma Ferreira da Costa.

A barra do cremoso e cítrico cupulate carrega a luta dessas incansáveis trabalhadoras, que aliam práticas agroecológicas a pautas feministas, expressando respeito às origens e à floresta com leveza e poesia. “Se a gente consegue plantar, produzir e escoar o produto, vamos também conseguir ver na nossa terra, no nosso território, uma vida mais digna e um futuro mais feliz”, conclui Selma.

IMPACTO SOCIAL E AMBIENTAL

A comercialização das amêndoas do cupuaçu é somente uma das atividades da AMABELA, que tem nos quintais das mulheres da associação a base de uma revolução social, de gênero e de proteção aos recursos naturais a partir dos produtos agroflorestais da região. Consciente do seu papel, a associação tem como propósito sensibilizar e impactar positivamente a comunidade local, fortalecendo a independência financeira, a liberdade de pensamento e atuação das trabalhadoras rurais.  

 

OUTROS INGREDIENTES E FORNECEDORES *

- Açúcar Mascavo: fornecido pela COPAVI – Cooperativa de Produção Agropecuária Vitória, localizada em Paranacity, no noroeste do estado do Paraná. Fundada em 1993, a partir do assentamento Santa Maria, de apenas 236 hectares e 61 habitantes, a COPAVI é a experiência mais longeva na produção coletiva e solidária do Paraná. 

eventuais alterações no fornecedor podem acontecer devido à disponibilidade do produto.

_MG_7629.JPG
AMABELA6.jpg

Cupulate Amabela - 65% Cupuaçu

Coordenadas geográficas do local de colheita do cupuaçu: 1° 09′ 12″ S | 48° 14′ 29″ O

Belterra - Rio Tapajós - Pará - Amazônia - Brasil