Chocolate em barra De Mendes tem gosto da

biodiversidade da Amazônia

A produção de um chocolate com terroir amazônico é a especialidade da De Mendes. Todos os nossos produtos são elaborados à partir da seleção de cacau nativo com excelência sensorial. Como a Amazônia comporta variados biomas, o local específico em que o fruto foi colhido e o pré-processamento das amêndoas faz toda a diferença no sabor de cada chocolate em barra produzido de forma artesanal e sustentável pelo chocolatier César De Mendes. A colheita e o pré-preparo da matéria-prima dos nossos chocolates são realizados através da capacitação de comunidades tradicionais, tais como indígenas, quilombolas, caboclos, ribeirinhos e agricultores familiares. Essas parcerias representam a verdadeira essência da Chocolates De Mendes e transparecem no sabor e na qualidade do nosso produto final.

 

Conheça os seis sabores das barras de chocolate disponíveis para compra em nossa loja virtual, assim como suas diferentes origens e histórias de cada uma das comunidades parceiras no preparo do cacau fino da De Mendes.

logo_demendes_bco_.png
embalagem_bomjardim.png
bomjardim_arte.png

Chocolate Bom Jardim - 63% Cacau

Coordenadas geográficas do local de colheita do cacau:

1° 37′ 39.06′′ S | 48° 27′ 43.95′′ O

Com nota cítrica complexa, mel e flor, as amêndoas de cacau da variedade Maranhão desta barra foram fermentadas de forma primorosa pela Comunidade Bom Jardim, localizada às margens do Rio Acará, em Barcarena, no Pará.

Os irmãos Manoel do Carmo (Xiba), Raimundo, João e Monteiro da Silva representam os ribeirinhos do Bom Jardim através de sua dedicação, resiliência e busca pela excelência.

Origem do Cacau: Barcarena - rio Acará - Pará - Amazônia - Brasil

bom jardim

63% CACAU

embalagem_mocajuba.png

Chocolate Mocajuba - 74% Cacau

Coordenadas geográficas do local de colheita do cacau:

2° 33′ 57′′ S | 49° 31′ 36′′ O

Colhido pelos ribeirinhos da Associação do Rio São Joaquim, às margens do rio Tocantins, no município de Mocajuba, o cacau da variedade Pará apresenta especificidades deste bioma de várzea arenosa, que conferem um aroma doce e agradável ao chocolate. Seu sabor lembra banana e oferece notas que vão do mel às frutas secas. É delicado e persistente. Esta barra de chocolate apresenta também sabor de história brasileira, já que foi em torno de Mocajuba um dos primeiros marcos da exportação de cacau do Brasil para a Europa no século XVIII.

Origem do Cacau: Mocajuba - Rio Tocantins - Pará - Amazônia - Brasil

mocajuba_arte.png

mocajuba

74% CACAU

Chocolate Sakaguchi - 78% Cacau

Coordenadas geográficas do local de colheita do cacau:

2° 24′ 53′′ S | 48° 8′ 60′′ O

Plantado em sistema agroflorestal por Noburo Sakaguchi, pai do agricultor Francisco Wataro Sakaguchi, o cacau da variedade Maranhão, colhido pela CAMTA – Cooperativa Mista de Agricultores de Tomé Açú, no Pará, apresenta notas de frutas secas, madeira e castanhas. Francisco aplica a prática artística e espiritual da “Agricultura Natural” em sua propriedade, um sistema holístico guiado pela sabedoria intrínseca da natureza, que procura entender as relações físicas sutis e os vínculos espirituais que existem entre todos os elementos envolvidos no cultivo do alimento: a terra, o sol, a chuva, o vento, o agricultor, as pessoas que consomem o alimento e a sociedade em que vivem. Seu propósito é nutrir a saúde e o bem-estar de todos os elementos.

Origem do Cacau: Tomé-Açú - Pará - Amazônia - Brasil

embalagem_sakaguchi.png
sakaguchi_arte.png

sakaguchi

78% CACAU

Chocolate Xiba - 81% Cacau

Coordenadas geográficas do local de colheita do cacau:

2° 33′ 57″ S 49° 31′ 37″ O

Colhidas em Barcarena, às margens do rio Acará, no Pará, as amêndoas de cacau desta floresta primária, densa e de enorme biodiversidade, apresentam características sensoriais diferenciadas devido ao seu terroir de origem. Exímio mateiro e profundo conhecedor da floresta, Manoel do Carmo Monteiro da Silva, o ribeirinho Xiba, busca a excelência e a perfeição em sua fermentação, que suaviza a adstringência e a acidez do cacau da variedade Maranhão e expõe toda sua potência sensorial, como cítrico complexo, mel e flor, conferindo traços da sua própria empatia, pureza e docilidade ao intenso cacau desta barra de chocolate.

Origem do Cacau: Barcarena - Rio Acará - Pará - Amazônia - Brasil

xiba

81% CACAU

embalagem_xiba.png
xiba_arte.png

Kunkuni Cupulate - 70% Cupuaçu

Coordenadas geográficas do local de colheita do cupuaçu:

1° 13′ 27′′ S | 48° 17′ 38′′ O

Originário da Amazônia, o cupuaçu colhido pela comunidade de Colônia Chicano, em Santa Bárbara, no Pará, é plantado em sistema agroflorestal. Com base nos saberes ancestrais e ensinamentos dos povos que vivem na Amazônia, as sementes de cupuaçu são tratadas de um modo tradicional que provoca a permanência do sabor da fruta até a fabricação do Cupulate, oferecendo um sabor cítrico, frutado, cremoso e viciante a esta barra.

Origem do Cupuaçu: Santa Bárbara - Pará - Amazônia - Brasil

embalagem_cupulate.png
cupulate_arte.png

KUNKUNI CUPULATE

70% CUPUAÇU

Yanomami-Ye'kwana - 69% Cacau

Coordenadas geográficas do local de colheita do cacau:

03° 33′ 22.9′′ N | 063° 10′ 20.1′′ O

Como o próprio nome já diz, o cacau desta barra é colhido na Terra Indígena Yanomami, mais precisamente ao longo das margens dos rios Uraricoera e Toototopi, nos estados de Roraima e Amazonas, fronteira com a Venezuela. Essa variedade de cacau, ainda não identificada, é pré-processada pelos povos indígenas Yanomami e Ye'kwana. Esse é um chocolate extremamente saboroso. Apresenta um doce de amêndoa delicado e prolongado, que lembra banana in natura e sabor de chocolate. O Chocolate Yanomami é equilibrado e apresenta uma textura que permite distribuição lenta na boca.

Origem do Cacau: Terra indígena Yanomami - Roraima - Amazônia - Brasil

embalagem_yanomami_antiga.jpg

Yanomami-Ye'kwana

69% CACAU

ya.png